quinta-feira, 28 de julho de 2011

Treinamento de Goleiros

Peço desculpas pela demora nas postagens. Estava muito ocupado com a preparação dos Jogos Regionais - Santo André - 2011. Quero parabenizar à todo grupo da Praia Grande pela medalha de bronze e a classificação para os Jogos Abertos do Interior no final do ano.

Colocarei nessa postagem um vídeo de um treinamento que apliquei nos meus goleiros do sub-20. Procurei mesclar as seguintes valências: treinamento funcional, saídas em guarda baixa, melhor condição anaeróbica, ´´espacati´´, entre outras...

Vale citar que o Lucas fez um campeonato de altíssimo nível. Jhonny jogou 1 período contra o Corinthians e também correspondeu como esperado.

Espero que possam observar e absorver alguns bons elementos desse treinamento.

video
Um grande abraço!!

terça-feira, 5 de julho de 2011

O Protagonismo na quadra.

O Futsal a cada ano torna-se mais coletivo, dependente de ações conjuntas de todo o quarteto de linha no momento do jogo (ou quinteto) ou de otimização de jogadas individuais através de alguma situação agrupada.
Ontem mesmo comentava com o nosso preparador físico (muito competente no alto rendimento, porém, oriundo do Voleibol): a graça do jogo está em ser imprevisível dentro da previsibilidade de um sistema. O Basquete e o Handebol, por exemplo, caminham pela mesma jornada.
Mas e o craque? O diferenciado, acima da média, fora de série? Sim, ele existe, mas é e cada vez mais será mais raro de ser visto. E não por falta de qualidade técnica, nunca, afinal, estamos no Brasil. Mas por tamanho equilíbrio que os estudos, os trabalhos, os treinamentos em suas mais variadas situações, proporcionam ao dia-a-dia do Futsal.
O Falcão não é o único craque do Futsal mundial, talvez ele seja o único a ficar mais de 3 segundos com a bola no pé, talvez seja o mais imprevisível driblador, além daquela história toda de ´´show man´´. Está certo, Unilus, Wise Up, Umbro, entre outros, precisam desse toque a mais, e assim ele mesmo pode comprar sua cobertura milionária em Balneário Camboriú (alguém ai falou que o futsal não dá dinheiro?). O Falcão é o protagonista do jogo, sempre que está com a bola. Mas analisando friamente as ações dentro de quadra, dentro de um sistema de marcação forte, como não considerar Danilo Baron (Corinthians/São Caetano), um grande e habilidoso ´´achador´´ de passes, um craque? Ou Lenísio e Vander Carioca (ambos do Poker/Petrópolis), que abrem linhas-de-passe inimagináveis. Ou até mesmo o incansável Valdin, que sai da sua quadra defensiva e está na segunda trave adversária em minúsculas frações de tempo. Leco (Krona/Joinville) (foto) provavelmente não consegue fazer mais que 3 ´´embaixadinhas´´, mas desarma com uma eficiência absurda.
Como sempre, é inevitável nas rodas de jovens leigos ou principalmente nos botecos espalhados pelo Brasil, a comparação com o Futebol. Vendo bem de perto, certamente observaremos que apesar da enorme imprevisibilidade encontrada em virtude do tamanho do campo, o Futebol também se torna a cada temporada, menos imprevisível, mais duro, mais pensado e equilibrado. Sim, você que acha que não pode ser jogador porque não sabe driblar, esqueça, sabe bater e é alto? Arrume um procurador e vai virar zagueiro! E não se irritem torcedores amantes do futebol-arte, apenas acostumem-se, isso acabou, apenas aparece de vez em quando.
Neymar é o protagonista do Santos e da Seleção Brasileira. Tenham certeza que é mais fácil do que na quadra, mas que para o mesmo conseguir partir em velocidade mudando rapidamente de direção, inicialmente do lado esquerdo do campo, algumas situações táticas precisaram ser abordadas. É assim, e tem que ser assim. O futuro caminha lado-a-lado conosco e facilita as coisas para nós. O mesmo cara que se revolta ao ver um ´´pé-duro´´ na quadra, gostaria de ouvir o jogo na rádio ou o ver em seu celular, ou quem sabe em casa no seu enorme home-theater? Muita boleiragem para pouco estudo...
Falcão está para o Brasil como Pula está para Rússia, Ricardinho para Portugal,  e talvez Ortiz, Fernandão, e Luís Amado, para a Espanha. Falcão toca na bola e o ginásio se levanta e aplaude como se estivesse no ´´ Cirque du Soleil´´. São diferentes, craques. Mas vamos procurar entender melhor essa relação daqui pra frente. Estudar e extrair melhor as especificidades de cada jogador.
O coadjuvante e até mesmo o figurante, podem um dia fazer o gol do título.
Grande abraço!!